Você está aqui: Página Inicial > Extensão > Projetos de Extensão > Projetos na Área de Meio Ambiente

Projetos na Área de Meio Ambiente

por Comunicação Social da Reitoria publicado 08/12/2015 16h18, última modificação 31/03/2016 18h21
Veja os Projetos de Extensão na área de Meio Ambiente
1) Nome do Projeto: Herborização da vegetação arbórea da mata ciliar no IFF-Campus Bom Jesus do Itabapoana, em Bom Jesus do Itabapoana, RJ
Coordenador: Lilia William Goncalves
Campus: Bom Jesus
Resumo: A flora brasileira é considerada uma das mais ricas do mundo constituindo um patrimônio científico, cultural e econômico que precisa ser conhecido, preservado e explorado racional e criteriosamente. Uma coleção botânica é um forte instrumento didático para o treinamento de estudantes no reconhecimento da flora de um determinado local ou região. Serve ainda como recurso pedagógico contribuindo com o ensino das ciências biológicas, pois pode ser utilizado nas aulas práticas possibilitando uma formação adequada, com ênfase nas potencialidades naturais da região. Esta pesquisa tem como objetivo iniciar uma coleção botânica, ressaltando a importância das informações contidas em um herbário e sua dinâmica de funcionamento. O trabalho será constituído da coleta, herborização e montagem de exsicatas de espécies da mata ciliar do IFF-Campus Bom Jesus do Itabapoana na margem direita do rio Itabapoana, com a classificação e nome vulgar, iniciando um estudo sistemático dessa flora, que atualmente é quase inexistente, e gerando dados científicos. Esse conhecimento será levado às escolas do município através de palestras e de oficinas de montagem de exsicatas, visando à conscientização dos alunos e professores sobre a importância do conhecimento sobre a flora e da preservação das matas. O material coletado e herborizado será exposto na “Mostra de Conhecimento, Ensino, Pesquisa e Extensão” do Instituto Federal Fluminense, em 2014, através de banner e registro fotográfico. Posteriormente estas exsicatas serão incorporadas ao herbário do Campus e constituirão parte de seu acervo.

 

2) Nome do Projeto: Recuperação da mata ciliar no entorno das principais nascentes do rio Itabapoana no município de Bom Jesus do Itabapoana, RJ
Coordenador: Mirian de Souza Valadão
Campus: Bom Jesus
Resumo: A existência de qualquer curso de água, e consequentemente a exploração de seus recursos naturais dependem, em primeira instância, das nascentes que formam e alimentam as bacias hidrográficas. As formações florestais são essenciais a subsistência e preservação das nascentes a elas associadas. Na primeira etapa deste trabalho com o projeto “Localização e caracterização das principais nascentes do rio Itabapoana no município de Bom Jesus do Itabapoana”, verificou-se que apenas 4% das 46 nascentes pesquisadas têm vegetação em seu entorno, e que destas apenas duas estão de acordo com o Código Florestal. Devido este resultado e à demanda por meios de amenizar a situação encontrada, decidiu-se pela continuação do projeto, com a plantação de mudas de árvores nativas. Neste trabalho, será realizada a coleta de sementes da mata ciliar na região próxima das nascentes degradadas, nos tributários do rio Itabapoana, no município de Bom Jesus do Itabapoana. Esta coleta será executada por alunos bolsistas e mateiros da região pesquisada. A classificação das famílias e o nome vulgar das árvores, serão obtidas através de literatura especializadas e dos mateiros. Parte das semente serão plantadas e posteriormente serão, junto com as mudas formadas, distribuídas entre os proprietários das áreas onde foram localizadas as nascentes degradadas, num “Dia de Campo”, quando serão orientandos no plantio, iniciando o resgate destas áreas. O resultado parcial deste projeto será exposto nas “Mostras de Conhecimento, Ensino, Pesquisa e Extensão” do Instituto Federal Fluminense, através de banner e registro fotográfico do desenvolvimento do trabalho.

   

3) Nome do Projeto: Educando para Sustentabilidade
Coordenador: Cristina Alves Baptista
Campus: Campos Centro
Resumo: Este projeto visa promover a sensibilização e conscientização dos atores sociais educativos para a questão ambiental, considerando os impactos que são gerados pelas atividades administrativas rotineiras das escolas. Será realizado o estudo do desempenho ambiental de uma escola da rede municipal de Campos dos Goytacazes e a elaboração de manuais de orientação e de mini-palestras. Espera-se que o instrumento desenvolvido para análise de desempenho seja reutilizado como ferramenta de autoavaliação e que o projeto contribua para mudança de atitudes, redução de gastos públicos e descarte correto de resíduos. O projeto também pretende indiretamente estimular o corpo pedagógico para o desenvolvimento de ações semelhantes no processo de ensino e aprendizagem.

  

4) Nome do Projeto: Educação ambiental a partir da percepção ambiental dos alunos da rede municipal de Macaé
Coordenador: Oseias Teixeira da Silva
Campus: Macaé
Resumo: Este projeto visa desenvolver um projeto de educação ambiental junto aos alunos da rede municipal de Macaé. No entanto ao invés de partirmos de conceitos consagrados dentro da discussão sobre o meio ambiente, buscaremos a base do projeto na percepção que as crianças possuem das questões ambientais, nesse sentido buscando confrontar essa visão da criança, construída no cotidiano, a partir das experiências e da vivência do aluno, bem como das informações, muitas vezes dispersas, que recebe através da mídia e de outros meios de informação. E nesse sentido buscaremos criar uma oportunidade para a produção de sentido e significado diante da temática ambiental, mostrando que o meio ambiente não é algo distante da realidade dos alunos e que a necessidade de conservação dele precisa estar sempre presente nas práticas cotidianas de cada cidadão, seja diretamente através de ações que reduzam o impacto ao meio ambiente seja através de pressão política para que os governos e as empresas tomem suas decisões pautadas no respeito ao meio ambiente.
5) Nome do Projeto: Horta Orgânica
Coordenador: Gustavo da Cunha Guterman
Campus: Cabo Frio
Resumo: Este projeto tem como objetivo principal, o desenvolvimento de uma horta comunitária para a produção de verduras, legumes, ervas aromáticas e condimentares em sistema orgânico a partir do aproveitamento de resíduos vegetais gerados pelo restaurante da instituição e pelas aulas práticas do curso de gastronomia. Através da Compostagem Laminar na área do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, campus Cabo Frio, com intuito de agregar conhecimento aos alunos num novo segmento de mercado que está crescendo na sociedade consumidora e, ao mesmo tempo, formar em nosso aluno uma consciência critica da importância da preservação ambiental, desenvolvimento sustentável e na segurança alimentar. Um dos principais pilares do projeto, é o processo de compostagem, onde haverá a produção de composto orgânico com posterior utilização na implantação de diversas culturas olerícolas pelo sistema orgânico, proporcionando experiências e conhecimentos sobre a prática de uma produção sustentável para a segurança alimentar e ao mesmo tempo desenvolver na comunidade e alunos competências e habilidades para disseminação de atitudes de comprometimento para um futuro ambientalmente melhor, além de servir como ferramenta da ação interdisciplinar dos professores. Serão ofertadas vagas para produtores agrícolas locais conhecerem os processos de produção aplicados na horta orgânica, através de encontros teórico-práticos monitorados pelos bolsistas do projeto.
6) Nome do Projeto: Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação como instrumento de educação ambiental
Coordenador: Rogerio de Avellar Campos Cordeiro
Campus: Campos Guarus
Resumo: Um dos grandes desafios do processo educacional é encontrar formas agradáveis de transmissão do conhecimento e de estímulo ao raciocínio crítico e formação cidadã para os estudantes e a comunidade em geral. Neste contexto, o computador pode ser utilizado para enriquecer ambientes de aprendizagem e auxiliar o aprendiz no processo de construção do seu conhecimento (VALENTE, 1999). Atualmente, uma variedade de conteúdos educacionais tem sido disponibilizada em vários formatos, por meio de diferentes plataformas e sobre vários assuntos. Especificamente para questões da educação ambiental, além da escassez destes recursos, análises prévias apontaram que muitos deles estão descontextualizados com a realidade da comunidade local e assim tornam-se necessárias novas pesquisas ou o desenvolvimento de novas ferramentas tecnológicas que atendam as necessidades educacionais de cunho ambiental. Neste sentido, este projeto propõe a aplicação de recursos educacionais digitais nos ambientes educacionais que alcance jovens em idade escolar e toda comunidade com acesso a internet, que funcione como instrumento de educação ambiental. Os recursos serão provenientes de pesquisas(buscas) na internet ou desenvolvidos pela própria equipe, e serão utilizados nos ciclo de palestras na(s) escola(s) pública(s) e comunidade ao redor sobre o assunto. Todo este material será condensado em uma página na internet, tendo em vista que ela é uma das grandes difusoras de conhecimento e utilizada por todas as faixas etárias. Além disso, a página também poderá ser acessada por toda comunidade escolar interna, e por professores que desejarem usa-la de forma interdisciplinar em suas aulas. Além da educação ambiental, este projeto busca também difundir na comunidade algumas das atividades desenvolvidas pelo Instituto Federal Fluminense no contexto Ambiental, tais como cursos, projetos, profissionais, etc. Desta forma, espera-se despertar um interesse maior pelos cursos oferecidos pela instituição e que um perfil de ingressos mais contextualizados com os assuntos dos cursos técnico em meio ambiente e engenharia ambiental seja formado, de modo a diminuir a evasão de alunos nesses cursos. Durante a execução do projeto alguns instrumentos avaliativos serão aplicados objetivo de coletar o nível de conhecimento dos alunos. Ao final das atividades, os alunos serão reavaliados para que se possa identificar o aumento da consciência ambiental dos alunos participantes.
7) Nome do Projeto: Gestão de Resíduos Sólidos de Saúde: um modelo para a redução de custos globais e impactos ambientais aplicado no Hospital Público Municipal da Serra de Macaé - RJ.
Coordenador: Marcos Antonio Cruz Moreira
Campus: Macaé
Resumo: O projeto visa avaliar os processos de segregação e coleta do lixo usuais do Hospital Público Municipal da Serra de Macaé e estabelecer métodos sustentáveis relativos à segregação dos mesmos. Para tanto se faz necessário mensurar resultados de pesagem diária do lixo já segregado antes e após o treinamento das equipes e identificar indicadores sustentáveis que comprovem a redução dos custos globais aos cofres públicos nos dois anos de realização do projeto, comparando-se com a qualidade do serviço prestado pelos profissionais antes e após os treinamentos.
8) Nome do Projeto: USO DO PEQUIZEIRO PARA REFLORESTAMENTO DE PROPRIEDADES RURAIS NO NOROESTE FLUMINENSE
Coordenador: Ernany Santos Costa
Campus: Bom Jesus
Resumo: O Noroeste Fluminense é uma região constituída, em sua maioria, por pequenas propriedades rurais com predomínio da atividade pecuária e alto índice de degradação ambiental. É necessária a conscientização dos produtores e a adequação dessas propriedades às leis ambientais vigentes, sobretudo as mais recentes aprovadas no novo Código Florestal. A partir de agora, toda propriedade deverá ter seu cadastro ambienta rural e isso implica em áreas de reserva legal e áreas de preservação permanente. Diante disso surge a demanda por espécies que possam ser usadas no reflorestamento dessas áreas com destaque para aquelas que possam gerar algum retorno financeiro para o produtor. Considerando estes aspectos foi escolhido para um estudo preliminar o pequizeiro (Caryocar brasiliensis Camb) por ser uma espécie com elevado valor social e econômico nas regiões do cerrado gerando alimento e renda para as comunidades mais carentes e listado nas espécies recomendadas para reflorestamento no Rio de Janeiro por meio do Programa Rio Rural. O pequizeiro é uma espécie pioneira que se desenvolve em regiões áridas do cerrado com solos de baixa fertilidade por isso apresenta condições de se estabelecer na região Noroeste. Os seus frutos tem ampla utilização na culinária e são comercializados na forma “in natura” e, apresentam potencial para produção de biodiesel. A produção inicia-se a partir do quarto a quinto ano e, atualmente, já se encontram no mercado genótipos que produzem frutos sem espinhos, uma vantagem para o uso na culinária. Neste projeto os estudos começarão com frutos com espinhos e nas fases seguintes avançarão para a aquisição e clonagem, via enxertia, de pequizeiro com frutos sem espinhos. Pretende-se associa-lo com o araticum (Annona coriacea) para implantação na área destinada a reserva legal do campus Bom Jesus e simultaneamente, instalar uma coleção de genótipos que funcionará como uma unidade demonstrativa também no referido campus. Uma outra unidade demonstrativa será instalada no campus Cambuci e uma terceira em uma propriedade rural previamente selecionada. Os produtores interessados em utilizar a espécie receberão treinamento por meio de folhetos, palestras, dia de campo e seminários e, após esses treinamentos eles receberão as mudas para o plantio em suas propriedades. Os trabalhos serão acompanhados, inicialmente, por alunos dos cursos Técnico em Agropecuária, Técnico em Meio Ambiente com o auxílio de servidores do Laboratório de Produção de Mudas, Laboratório de Solos e Laboratório de Fruticultura do campus Bom Jesus e contará também com o apoio do Setor de Fruticultura da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro-UENF. Este projeto pretende atuar em sinergia com outros para potencializar as ações de conscientização ambiental e sustentabilidade nas propriedades rurais do Noroeste Fluminense.
9) Nome do Projeto: OBSERVATÓRIO AMBIENTAL ALBERTO RIBEIRO LAMEGO - produção multimídia de educação ambiental como ferramenta da gestão participativa de espaços territoriais especialmente protegidos - DUNAS DO PERÓ: para que e para quem?
Coordenador: Maria Inês Paes Ferreira
Campus: Macaé
Resumo: O Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego foi implantado pela equipe de pesquisadores do Núcleo de Pesquisa em Petróleo Energia e Recursos Naturais do Campus Macaé do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense (NUPERN-IFF) associados ao Programa de Pósgraduação em Engenharia Ambiental do IF Fluminense (PPEA-IFF) em 2007, logo após o ingresso da primeira turma do Mestrado em Engenharia Ambiental (modalidade profissional) do então Centro Federal de Educação Tecnológica de Campos. A inciativa objetivava oferecer suporte às analises e avaliações ambientais integradas, além de produzir informações unificadas da região de influência da nossa instituição, focando principalmente o Norte-Noroeste Fluminense e a Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro. O Observatório tem por objetivo produzir informações unificadas da região em estudos realizados por meio das unidades de nicho geográfico, disponibilizando ao público em geral não só os produtos técnicos e acadêmicos de docentes, discentes e parceiros do PPEA-IFF (ver http://www.observatorioambiental.iff.edu.br). Além disso, busca-se realizar transposição didática dos estudos e pesquisas realizados para a linguagem audiovisual, produzindo por intermédio da InSitu Produções (https://www.youtube.com/user/InSitu-NUPERN). Essa forma de produção de dados e informações ambientais é fundamental nos estudos de preservação, recuperação e acompanhamento ambiental. A implantação do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego (OAARL), além de incrementar a integração entre os pesquisadores integrantes do NUPERN permite a divulgação dos trabalhos de pesquisa desenvolvidos pela equipe docente e discente do PPEAIFF, direcionando os visitantes do website para o portal da Essentia Editora, no qual estão hospedados os boletins do OAARL, publicados desde 2007 com periodicidade semestral. Os pesquisadores associados à equipe do Observatório participam como representantes institucionais de fóruns ambientais gestão participativa e controle social, como Conselhos Municipais de Meio Ambiente, Organismos de Bacia e Conselhos de Unidades de Conservação, entre outros, aonde são exibidos e debatidos os vídeos produzidos na InSitu Produções, bem como prospectados temas e demandas para a produção de novos vídeos. Em 2015/2016 a equipe da InSitu estará dedicada à produção do vídeo-documentário “Dunas do Peró: para que e para quem?”, à tarefa de atualização do website do OAARL e à coleta, sistematização e divulgação dos dados do marégrafo instalado na ALA.
10) Nome do Projeto: Desenvolvimento de novos materiais de construção e técnicas construtivas sustentáveis para habitações de interesse social na comunidade de Custodópolis, Município de Campos dos Goytacazes.
Coordenador: Raphael Mesquita de Aguiar
Campus: Campos Centro
Resumo: A indústria da construção civil é responsável pelo consumo de 14% a 50% de todo recurso natural extraído em um país. No Brasil são produzidos anualmente 35 milhões de toneladas de cimento e pode-se estimar 210 milhões de toneladas de agregados (areia e brita) somente na produção de cimento e argamassa, além disso, é responsável por grandes consumos de água e energia elétrica, afinal é a indústria que produz bens com as maiores dimensões físicas do planeta e consequentemente, é enorme o impacto ambiental gerado por este setor. Com base nestas informações, o presente projeto de extensão intitulado, DESENVOLVIMENTO DE NOVOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS SUSTENTÁVEIS PARA HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL NA COMUNIDADE DE CUSTODÓPOLIS MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, evidencia técnicas de processamento e utilização de materiais não convencionais, tendo como objetivo geral desenvolver novos procedimentos aplicados à produção de materiais ligados à construção civil, para moradias da comunidade de Custodópolis no Município de Campos dos Goytacazes, com a finalidade de diminuir os impactos ambientais dos métodos construtivos convencionais e reduzir o custo final das obras. Este trabalho tem como meta principal a capacitação dos moradores locais para produção dos materiais estudados culminando na construção efetiva de uma casa modelo em terreno cedido pelo CSU-Custodópolis.
11) Nome do Projeto: Em busca da sustentabilidade
Coordenador: Carine de Oliveira Santos da Silva
Campus: Reitoria
Resumo: As atividades humanas têm provocado grandes impactos no meio ambiente, e a extinção de muitos recursos naturais, como podemos ver atualmente, a crise de água no Brasil. Por isso, tem-se discutido muito o desenvolvimento sustentável como forma de deixar um futuro melhor para as próximas gerações. Mas ainda falta informação e muitas pessoas não sabem como fazer para eliminar ou minimizar os impactos ambientais. Diante disso, o projeto visa inserir práticas sustentáveis no ambiente escolar propondo a implantação de um sistema de gestão. Será feito um diagnóstico em um dos campi do Instituto para entender a situação ambiental de um ambiente escolar e a partir dos resultados mostrar como é possível a adoção de boas práticas ambientais, para a preservação e sustentabilidade do ambiente local, além da melhoria da qualidade de vida no ambiente de trabalho. Posteriormente divulgar as ações para demais escolas do município. As ações propostas no projeto serão baseadas na A3P, uma agenda ambiental, voltada para a administração pública, elaborada pelo Ministério do Meio Ambiente.
12) Nome do Projeto: Conscientização e Sustentabilidade Através de Programa de Coleta Seletiva pelo Instituto Federal Fluminense – campus Santo Antônio de Pádua
Coordenador: Bruno de Castro Jardim
Campus: Santo Antônio de Pádua 
Resumo: O presente projeto visa à construção de uma conscientização ambiental da comunidade escolar e da comunidade ao entorno do campus através de ações específicas acerca do problema do lixo doméstico no meio ambiente. A estratégia começa com um ciclo de palestras e visitas técnicas para a comunidade acadêmica e a população local assim serão abertas possibilidades para incutir a ideia da separação de lixo sólido na melhoria do ambiente. Segue com a elaboração de um mapa de fluxo para a distribuição e instalação de lixeiras específicas para cada tipo de rejeito no campus e no seu entorno, desse modo à comunidade local poderá depositar seu lixo para a coleta seletiva. Outro seguimento importante para a concretização do projeto será a participação da Associação de Catadores de Santo Antônio de Pádua que passará a recolher os resíduos previamente separados e usá-lo como fonte de renda.
13) Nome do Projeto: Incentivo ao uso de repelente de citronela como estratégia para redução dos casos de dengue no município de Campos dos Goytacazes
Coordenador: Milton Erthal Junior
Campus: Campos Guarus
Resumo: Os insetos vetores de doenças infecciosas são responsáveis por epidemias de natureza diversas no Brasil e uma das mais importantes é a dengue. Entre as formas de prevenir a dengue destaca-se a proteção pessoal contra picadas do mosquito. Porém o envolvimento e participação da população é extremamente importante na resolução deste problema. Os repelentes são substâncias que agem de forma a combater insetos no momento em que entram em contato com a pele humana ou animal, agindo como uma barreira. O uso do repelente de citronela é uma opção saudável e ecologicamente correta de afastar pragas desse tipo, evitando o uso de pesticidas. O objetivo deste trabalho é incentivar o uso de repelente natural preparado com a planta capim-citronela, Cymbopogon sp. (Monocotiledoneae: Poaceae) como alternativa para minimizar os casos de dengue no município de Campos dos Goytacazes, RJ. A eficácia e os efeitos colaterais deste repelente serão avaliados. O trabalho será desenvolvido no Instituto Federal Fluminense, campus Campos-Guarus. A propagação das plantas será realizada de duas maneiras: propagação vegetativa e propagação por sementes. Ambas serão realizadas com membros da comunidade local que já se encontram inseridos em atividades do IF Fluminense. Oficinas de capacitação de preparo e uso do repelente de citronela ocorrerá no laboratório de Biologia do IFF Guarus. Para facilitar a compreensão das informações transmitidas um folder está sendo elaborado para ser distribuído entre os participantes. Um grupo de 30 famílias será convidado a participar de uma pesquisa sobre o uso de repelentes de mosquitos vetores. A coleta de dados será por aplicação de questionário. Serão testados dois tratamentos para repelir mosquitos: a) repelente de citronela em álcool 70% para uso corporal; b) distribuição de folhas frescas nos principais cômodos da casa (cinco ambientes diferentes) e repelente comercial (controle positivo). O controle negativo, álcool 70%, não será usado para não expor os participantes ao ataque do mosquito vetor. Pretende-se com este projeto o incentivo ao cultivo de plantas medicinais, a redução dos casos de dengue, sensibilização da comunidade a cerca deste problema e testar duas técnicas de uso do repelente do capim citronela.
14) Nome do Projeto: Gestão Ambiental: Porque e como ser implantado no IFF - Instituto Federal Fluminense campus Campos-Centro?
Coordenador: Mônica Chagas Gomes
Campus: Campos Centro
Resumo: Trata-se de um projeto de extensão com o objetivo de subsidiar o campus Campos Centro na implantação de um Sistema de Gestão Ambiental, envolvendo toda equipe gestora, servidores, alunos e comunidade externa na utilização consciente dos recursos naturais e da importância destes para as gerações futuras, adotando práticas sustentáveis na vida cotidiana. 
15) Nome do Projeto: Reciclagem dos resíduos orgânicos sólidos para produção de adubo e utilização na produção agroecológica de hortaliças no campus Campos-Guarus
Coordenador: Gilmar Santos Costa
Campus: Campos Guarus
Resumo: Os problemas inerentes a quantidade excessiva da geração de resíduos sólidos orgânicos são evidenciados nos lixões, nas ruas das cidades com o lixo deixado forma inadequada, nas escolas e nas residências onde, na maioria das vezes, também não é tratado de forma adequada. Uma alternativa para reduzir os problemas gerados pelos resíduos orgânicos é a reciclagem por meio do processo de compostagem, um método barato quando comparado a outras formas de tratamento e eficaz na diminuição da quantidade de material. O objetivo deste projeto é produzir um adubo orgânico, a partir resíduos sólidos orgânicos, e utilizá-lo na Horta Agroecológica do campus-Guarus. O projeto será conduzido no campus Campos-Guarus, onde serão coletados resíduos constituídos por restos de alimentos (tais como: cascas de frutas, verduras, etc) e por palha (proveniente da poda de gramados). O composto será utilizado para cultivar hortaliças, que serão analisadas qualitativamente em função da adubação recebida. O envolvimento e a participação da comunidade estudantil, inclui atividades práticas que ajudarão a desenvolver, a compreender e a aplicar de importantes conceitos associados a redução da geração de lixo e a reciclagem de resíduos. Além disso serão ofertados oficinas práticas a comunidade da circunvizinhança do campus e servidores administrativos e professores, mostrando técnicas de compostagem e de produção sustentável de hortaliças dentro da concepção agroecológica. Também serão realizadas oficinas para cuidadores de hortas agroecológicas em terrenos baldios da cidade e espaços ociosos em escolas públicas conduzidas Secretaria de Agricultura do Município de Campos dos Goytacazes no projeto Eco Hortas Comunitárias, para que os mesmos pratiquem reciclagem dos resíduos sólidos orgânicos para produção de adubo.
16) Nome do Projeto: O Porto Importa? Aspectos dos impactos da Implantação do Terminal Portuário de Macaé (TEPOR) na Colônia de Pescadores Z-3 e na Associação Mista de Pescadores de Macaé
Coordenador: Alexandre Elias da Silva
Campus: Macaé
Resumo: O projeto destina-se à divulgação dos impactos da possível instalação do Terminal Portuário de Macaé, no bairro do São José do Barreto, litoral norte do município de Macaé, para as atividades pesqueiras da Colônia Z-3 de Macaé e atividades subjacentes ao ramo econômico em questão. A instalação do TEPOR, segundo o "Relatório de Impacto Ambiental do TEPOR", elaborado pela empresa Masterplan a pedido do Instituto Estadual do Ambiente (INEA-RJ) que reconhece que aumentará a área de exclusão pesqueira com a instalação e funcionamento do empreendimento.
Assunto(s): Meio ambiente