CAMPUS BOM JESUS DO ITABAPOANA

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Bom Jesus do Itabapoana > Notícias > I Encontro de Cultura do IFF movimenta Campus Santo Antônio de Pádua

Notícias

I Encontro de Cultura do IFF movimenta Campus Santo Antônio de Pádua

Evento

Alunos, servidores de vários campi do IFFluminense e comunidade externa discutiram cultura, assistiram e atuaram em diversas atrações ao longo do dia.
por Comunicação Social do Campus Bom Jesus do Itabapoana publicado 24/05/2018 22h00, última modificação 28/05/2018 21h09
Exibir carrossel de imagens "O desafio das gestões é formar liberdades e não enquadramentos." (Aline Portilho, produtora cultural do IFF)

"O desafio das gestões é formar liberdades e não enquadramentos." (Aline Portilho, produtora cultural do IFF)

O Campus Santo Antônio de Pádua abriu suas portas para receber nessa quarta-feira, dia 23 de maio, servidores e alunos de vários campi do Instituto Federal Fluminense, além de membros da comunidade paduana, para o I Encontro de Cultura do IFF. Planejado desde setembro de 2017, o evento reuniu projetos culturais desenvolvidos em todo o Instituto, totalizando quase 50 atrações, entre apresentações culturais, comunicações orais e oficinas.

“O I Encontro de Cultura do IFFluminense simboliza a importância da interiorização de uma política pública federal de educação profissional. A cultura é um espaço formativo de extrema relevância para nossas missões institucionais, sendo uma delas a formação integral de nossos estudantes. Essa formação certamente passa pela cultura”, discursou o diretor-geral do Campus Pádua, Arthur Rezende, dando início ao evento. Ele expressou a satisfação da comunidade do campus em sediar o Encontro, citando o quanto a cultura se faz presente na unidade, que também foi palco do lançamento do Plano de Cultura do IFF e, recentemente, inaugurou um laboratório destinado a atividades culturais.

Discutir “o pensar e o fazer cultura” no contexto atual foi a pauta do dia, iniciada com uma mesa redonda mediada pela diretora de Pesquisa, Extensão e Cultura do IFF Pádua, Lívia Brasil, que dividiu o espaço com os professores Aline Portilho, Charles Vianna e Raquel Fernandes. “Temos um papel muito importante no Instituto, de mostrar que nós (o Instituto) vamos sobreviver, e faremos isso por meio da cultura”, afirmou o professor Charles Vianna. Após a mesa, realizada no auditório do campus, diversas apresentações musicais, teatrais e de dança encantaram os participantes.

Morena Loroza é aluna do sexto período do curso de Teatro do Campus Campos Centro e participou ativamente da programação: ministrou uma oficina, integrou uma apresentação de dança com colegas de curso e também falou sobre processos de pesquisa e criação em dança nas comunicações orais. “Foi uma oportunidade de conhecer outros projetos que se relacionam com os nossos e a partir disso podemos pensar várias ações futuras, conectando essas áreas de interesse”, disse.

Para Pâmella Figueiredo, também estudante do 6º período de Teatro, essa troca foi um grande ganho para os participantes. Bolsistas do projeto Intervenções Urbanas com cartaz Lambe Lambe, ela e o aluno de Design Gráfico Flávio Vivório ficaram satisfeitos com o interesse de alunos e professores pelas ações desenvolvidas nos demais campi do IFFluminense. Além disso, eles acreditam que o evento promove a valorização da arte e da cultura, cujos espaços ainda são tímidos na sociedade. “Cultura é tudo aquilo que nos rodeia. Se a perdemos, perdemos também a oportunidade de abrir um leque de conhecimentos importantes. A arte estimula o senso crítico, amplia possibilidades de pensamento e reflexão”, analisa Pâmella.

A presença da comunidade externa também foi um aspecto que chamou a atenção dos presentes. “Essa participação mostra que o Instituto cumpre seu objetivo e papel social, que é levar ensino, educação, pesquisa e cultura para a comunidade”, destaca Flávio. O mesmo acredita o coordenador de Políticas Culturais e Diversidade do IFF, Jonas Defante Terra, que elogiou a participação efetiva da comunidade não só como expectadores, mas como atuantes em todas as ações. “Precisamos valorizar a cultura também como um eixo fundamental da instituição. É urgente valorizar a cultura popular, local, que é tão rica. Mas também trabalhar a cultura enquanto formação na área da educação, como área de conhecimento que pode vir a ser fonte de economia, mercado de trabalho”, conclui, demonstrando satisfação pelo resultado da primeira edição do Encontro de Cultura e desejando que novos encontros aconteçam durante todo o ano para fortalecer as ações de arte e cultura entre os campi da instituição.

Confira os registros do dia na página do Campus Santo Antônio de Pádua no Facebook.