CAMPUS CABO FRIO

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Cabo Frio > Notícias > Alunas do Campus Cabo Frio participam do Campeonato Mundial de Debate em Língua Portuguesa

Notícias

Alunas do Campus Cabo Frio participam do Campeonato Mundial de Debate em Língua Portuguesa

Formação

As estudantes do Campus Cabo Frio viajaram até Portugal para participar do Campeonato.
por Mônica Athayde Gonçalves publicado 09/05/2018 18h11, última modificação 15/05/2018 13h50

   As estudantes do Clube de Debates IFFluminense, Yres Santiago, Rebeca Liareno e Lara Hodos, acompanhadas da professora de Língua Portuguesa, Maria de Fátima Valentim, representaram o IFFluminense no Campeonato Mundial de Debate em Língua Portuguesa, em Cascais, Portugal.

    A Sociedade de Debate da Universidade de Lisboa - SDUL, promotora do evento, convidou as estudantes, em virtude de o Campus Cabo Frio abrigar um projeto – Clube de Debates (CDD) – já em execução há quatro anos, cujo objetivo é promover o pensamento crítico entre os estudantes. Uma das participantes, a aluna Lara Hodos, explicou que o convite foi realizado por um membro da organização do SDUL, que havia assistido a um vídeo na página do CDD, no YouTube. “Quando enviaram o convite, não acreditamos que participaríamos de evento tão importante! Ainda mais por ser um evento para alunos de nível universitário.”, recorda Lara.

    O Clube de Debates aceitou o desafio. Na impossibilidade da participação de todos os membros, o CDD realizou uma votação e foram escolhidas três representantes. Com o apoio da Direção do campus e da Reitoria do IFFluminense, as estudantes viajaram até Cascais, em Portugal, onde ficaram entre os dias 25 e 29 de abril, período em que o campeonato aconteceu. A aluna Yres Santiago destacou que, além de ser o único grupo de estudantes do nível médio no evento, também foi a única equipe a receber apoio institucional para a viagem. “Os outros participantes ficaram surpresos em saber que a Instituição investiu na gente, na viagem, na nossa participação. Isso nos deixou extremamente felizes porque fomos valorizadas, além de o IFFluminense ter confiado na nossa capacidade.”, ressalta Yres.

     A SDUL utiliza um modelo de debate parlamentar – baseado no parlamento inglês - e aborda diversos assuntos, debatidos alternadamente. Durante as rodadas, duas equipes se enfrentam argumentando sobre um tema determinado. As estudantes relataram que tinham 15 minutos para avaliar o tema e estruturar o argumento em favor ou contra. Posteriormente, jurados avaliavam os melhores argumentos, indicando a equipe vencedora. Apesar de a equipe não ter conseguido ir às “semifinais”, o desempenho das estudantes foi elogiado pelos organizadores do debate. “Após a rodada, podíamos perguntar ao jurado em que havíamos errado, e fomos elogiadas em nosso desempenho, pois ele entendeu que, no segundo dia do evento, já estávamos mais ambientadas e nosso desempenho foi melhor. Já saímos vencedoras naquele momento.”, relata Yres.

     Para a professora Maria de Fátima, foi uma experiência muito rica em vários sentidos. Segundo ela, as estudantes enfrentaram o desafio com muita maturidade, já que estavam debatendo com pessoas de países distintos, com realidades e assuntos diversos. “Quando vi essas meninas de 16, 17 e 18 anos num desafio desse tamanho, fiquei muito emocionada e me senti legitimada como profissional. Foi muito gratificante porque pude perceber o perfil dos alunos formados pelo IFFluminense. Minha alegria foi infinita em perceber a dimensão e importância dessa Instituição e do nosso trabalho.”, diz Fátima.

    A estudante Rebeca Liareno destacou a importância da participação no Campeonato Mundial de Debates para o crescimento pessoal: “Esse legado não tem preço. Conhecemos novas pessoas, convivemos num lugar diferente, foi maravilhoso! Espero que a escola continue investindo e acreditando nos alunos, pois só quando acreditamos na educação e investimos nela é que entendemos a importância de uma escola pública de qualidade.” 

    O diretor do Campus Cabo Frio, Victor Saraiva, ressalta que a comunidade acadêmica está muito orgulhosa da participação e do resultado do CDD obtido no campeonato. Destaca que o projeto (CDD) é muito relevante para desenvolver nos alunos o interesse pela vida e pelas questões da sociedade. “Isso contribui com a formação para a participação democrática e a construção da cidadania desses jovens.”, conclui Victor.

   O reitor do IFFluminense, Jefferson Manhães, também parabeniza as alunas e destaca que ações como essa empoderam, ampliam os horizontes e desenvolvem as habilidades comunicativas dos estudantes. “É dever da Instituição dar oportunidade, criar ambiente e ações educativas para desenvolver talentos e competência em nossos estudantes.”, explica Jefferson. 

   A Sociedade de Debate da Universidade de Lisboa - SDUL 

    É uma organização de estudantes centrada na promoção do debate competitivo na Universidade de Lisboa. Com este foco, a SDUL dinamiza atividades várias vezes por semana, em vários pontos, agregando mais de 500 sócios. Essa foi a primeira edição do Campeonato Mundial de Debate em Língua Portuguesa, com o objetivo de unir os estudantes lusófonos por meio de suas ideias, do poder da argumentação e espírito crítico.

    Saiba mais: www.sdul.pt           

  O Clube de Debates do Campus Cabo Frio - CDD

  O Clube de Debates do Campus Cabo Frio promove torneios, todos os anos, desde que foi fundado pelos professores Bruno Aragão, de Língua Portuguesa, e Henrique Selani, de Física, inicialmente desenvolvido como “atividade integradora” para criar uma interdisciplinaridade entre conteúdos.

 Durante os quatro anos de existência, a atividade foi aprimorada e o CDD começou a promover debates entre estudantes de outros campi do IFFluminense. Atualmente o CDD tem a participação de alunos dos cursos técnicos integrados e é coordenado pelo professor Vinícius Teixeira. 

  Agradecimentos

   O IFFluminense parabeniza as alunas e agradece aos professores Maria de Fátima Valentim e Luã Monteiro pelo acompanhamento e apoio durante a participação no Campeonato. E aos professores Henrique Selani, Bruno Aragão e Vinícius Teixeira pelo empenho, dedicação e desenvolvimento do projeto.