CAMPUS CAMPOS CENTRO

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Campos Centro > Notícias > Passeata até a Delegacia de Atendimento chama atenção para violência contra a mulher

Notícias

Passeata até a Delegacia de Atendimento chama atenção para violência contra a mulher

Reação

Ato organizado pelo Grêmio Estudantil e Nugedis é desdobramento de crimes recentes praticados no Norte Fluminense
por Comunicação Social publicado 31/03/2016 10h54, última modificação 31/03/2016 20h17

O Grêmio Estudantil Nilo Peçanha (Genp) e Núcleo de Gênero, Diversidade e Sexualidade (Nugedis) do IFFluminense voltaram a chamar atenção nesta quinta-feira, 31/03, para o problema da violência, em especial contra a mulher, com a passeata realizada no final da manhã. Os manifestantes saíram da entrada dos alunos do Campus Campos Centro e após percorrem algumas ruas chegaram à Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), situada na Rua Barão de Miracema, no Centro. A intenção foi apoiar o trabalho da delegacia especializada, mas também repudiar com mensagens fortes crimes que ainda estão acontecendo.

Há uma semana, uma estudante do campus foi abordada por um homem quando se encaminhava para a aula, no início da manhã e submetida a abuso sexual. O agressor foi preso também na manhã desta quinta-feira por uma policial da Deam. A presidente do Genp, Jade Lopes, disse que "não deveria acontecer. A gente quer vir para a escola em segurança". O diretor geral do campus e reitor eleito do Instituto, Jefferson Manhães de Azevedo, participou da passeata e disse que o esforço de estudantes e servidores, engajados em atos de repúdio, chamou a atenção para o caso e o problema ainda presente na sociedade brasileira.

No final da tarde e parte da noite de quarta-feira, 30/03, professoras pesquisadoras apresentaram ao público no campus, no painel Violência e Gênero, resultados de seus trabalhos indicando ainda haver séria vulnerabilidade das mulheres e práticas de violência masculina.

Algumas das mensagens apresentadas em cartazes pelos manifestantes: "Andar num espaço público não torna meu corpo público"; "Se calar, vai continuar"; "Piada machista é uma forma 'engraçada' de agredir a mulher"; "Mulher não está na rua para seu entretenimento, respeite!".   

Nos últimos 10 dias houve três atos de agressões, incluindo estupro, a mulheres no Norte Fluminense, nos municípios de Campos dos Goytacazes e São Francisco do Itabapoana. 

O Núcleo de Imagens do IFF compôs um belo álbum de registro fotográfico da passeata.