CAMPUS CAMPOS CENTRO

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Campos Centro > Notícias > Trabalhos de estudantes e professores estarão no XIII ENEM

Notícias

Trabalhos de estudantes e professores estarão no XIII ENEM

Matemática

De 14 a 17 de julho acontecerá em Cuiabá, capital do estado do Mato Grosso, o XIII Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM).
por Antonio Barros/Comunicação Social do Campus Campos Centro publicado 09/07/2019 13h10, última modificação 09/07/2019 13h10
Exibir carrossel de imagens Estudantes e professores do Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Matemática (Leamat) Foto: Letícia Cunha

Estudantes e professores do Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Matemática (Leamat) Foto: Letícia Cunha

O ENEM é considerado o evento mais importante da área no país. Nele estarão professores da Educação Básica, professores e estudantes das Licenciaturas em Matemática e em Pedagogia, estudantes da Pós-graduação e pesquisadores. O Campus Campos Centro do Instituto Federal Fluminense estará presente com dois trabalhos na modalidade de Apresentação Oral: Baricentro: da construção ao ponto de equilíbrio, está no Subeixo 4 - Recursos Didáticos para Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental, no Médio e no Superior. Relação de Euler: Atividade com material didático manipulável para estudantes com deficiência visual, no Subeixo 5 - Práticas inclusivas em Educação Matemática. Veja AQUI os trabalhos completos. Essas pesquisas, e várias outras, são fruto do Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Matemática (Leamat) e da disciplina homônima.

Além da participação em um congresso dessa importância, os professores e alunos que passam pela disciplina e pelo Leamat estão com publicação acertada na revista internacional xxxx e na importante revista de Matemática da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) Link Science Place. Um fato interessante é que os alunos iniciam seu primeiro contato com o universo da pesquisa (a exploração, desenvolvimento e, por fim, a escrita do trabalho) ainda nos anos iniciais.

 Fora da instituição, o que chama atenção é como conseguimos organizar essa estrutura dentro de um curso de licenciatura, e sendo no começo do curso. Um dos objetivos é exatamente conseguir amadurecer os alunos, para que quando eles chegarem à monografia, já terem experiência com pesquisa, com escrita  explica a professora Mylane dos Santos Barreto, orientadora de um dos trabalhos a ser apresentado no XIII ENEM.

Professor Pesquisador - Coordenadora do Curso de Licenciatura em Matemática do campus, a professora Márcia Valéria Azevedo Ribeiro destaca o empenho dos professores de diferentes disciplinas para consolidação do trabalho e de sua base de pesquisa: “Todos os professores da licenciatura já passaram pelo Leamat, já deram sua contribuição e, de uma forma ou de outra, continuam contribuindo. Atualmente nós temos essas quatro linhas de pesquisa: Álgebra, Aritmética, Geometria e Educação Matemática Inclusiva.”

O trabalho estruturado para dar resultados ao longo do tempo encanta também os estudantes. “O Leamat, além de possibilitar essa parte de a gente desenvolver esses trabalhos, também desenvolve a questão do professor pesquisador, porque desde o início do curso a gente estará pesquisando, desenvolvendo”, observa Yuri Martins Robaina, aluno do 7º período.

 “No início da faculdade, a gente não espera tanto. Aí quando existe apoio do professor, dos colegas, quando existe isso, a satisfação no final é muito grande porque você vê que é capaz, que consegue também fazer”, comenta Josiliane Santos, também do 7º período.

Fala de professor - A professora Ana Mary Fonseca Barreto de Almeida concilia a paixão pela sala de aula com contribuições à gestão do Instituto. Com sua experiência, avalia que a licenciatura em matemática do IFF tem sido referência para outros cursos de licenciatura, quando a disciplina Leamat  “é a prática como componente curricular. É o momento em que o aluno é colocado no papel de professor pela primeira vez”.

Para ela, a fala de um estudante do curso no quinto período “é uma fala de professor”. E isso se dá pela passagem do aluno pelo laboratório de ensino-aprendizagem. É nele também que o aluno tem a percepção de que pode ser um professor pesquisador. “Pela riqueza que é o Leamat, ele se transformou em um componente obrigatório para que seja exercido antes do estágio”, detalha Ana Mary.