CAMPUS CAMPOS GUARUS

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Campos Guarus > Notícias > Nugedis do Campus Guarus promove discussão sobre Gênero e Sociedade

Notícias

Nugedis do Campus Guarus promove discussão sobre Gênero e Sociedade

Núcleo de Gênero

Evento contou com a participação expressiva de estudantes e de militantes da causa LGBT.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 16/08/2017 14h12, última modificação 28/08/2017 11h29
Exibir carrossel de imagens Fael durante palestra sobre direitos locais para minorias sexuais e pessoas trans de Campos dos Goytacazes

Fael durante palestra sobre direitos locais para minorias sexuais e pessoas trans de Campos dos Goytacazes

 O Núcleo de Gênero, Diversidade e Sexualidade do Campus Campos Guarus (Nugedis) realizou, na última quinta-feira, dia 10 de agosto, no auditório do campus, o evento “Gênero e Sociedade: da Construção Social aos Direitos Humanos”, que trouxe à pauta questões de desconstrução de gêneros e orientação sexual.

 O evento contou com a presença de palestrantes da militância LGBT, como Fael e o grupo Kab\i/de - Mulheres Negras, além de estudantes e servidores do Instituto e alunos da Escola Estadual General Dutra.

 Para Bruno Ribeiro, coordenador do Nugedis, “quando se fala em gênero e sociedade, estamos baseados numa perspectiva binária, masculino e feminino, ignorando as diversidades e as minorias sexuais. Contudo, o gênero está além de teorias biológicas e, após contribuições de Freud, surgiram outras teorias que tentam explicar o gênero nos dias atuais”. Ele ressalta que por mais que haja discordância, questões relativas a diversidade e minorias sociais devem ser dialogadas a fim de serem entendidas.

 Fael, um dos palestrantes do evento, bacharel em direito e militante LGBT, falou sobre o plano de criação de um Conselho Municipal junto à Prefeitura de Campos para debater pautas que venham fomentar políticas afirmativas de extrema importância. “Nosso trabalho de formiguinha é para tentar organizar pautas, tornar público e notório à sociedade, que os ambientes públicos não estão preparados para receber um travesti ou mesmo para atender uma mulher lésbica em um consultório médico, por exemplo, e que essas pessoas perdem oportunidades de trabalho por questões de gênero”, reforça.

 Questões de representatividade da mulher negra e lésbica vieram à tona com o objetivo de levar a informação para quem não tem acesso. Daiane Gomes, integrante do grupo Kab\i/de, acrescenta que por meio de suas realidades e vivências, é possível incentivar outras mulheres iguais a ela a acreditarem em seus potenciais e no seu real valor na sociedade.

 O diretor-geral do Campus Guarus, Christiano Carvalho Leal, afirma que “a escola é o ambiente adequado pra discutirmos os mais variados temas e assuntos, o IFF tem uma característica fundamental de incentivar essas discussões e de promover o debate sobre o tema. Ficamos muito contentes com a ação da diretoria de Desenvolvimento de Políticas Estudantis, Culturais e Esportivas do IFF em garantir bolsas Nugedis e Neabi para cada um dos campi, essa é mais uma demonstração do compromisso com a discussão de questões relativas a diversidade e questões raciais. Prezamos por uma escola onde a tônica seja o respeito entre todas as pessoas”, destaca o diretor.