POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES

Apresentação e Histórico

por Pablo Vinícius nascimento publicado 23/10/2015 15h19, última modificação 24/07/2016 14h55
Breve apresentação e histórico do Polo de Inovação Campos dos Goytacazes

Vista aérea do PICG. 

Inaugurada em 22 de outubro de 2007, a Unidade de Pesquisa e Extensão Agroambiental (Upea) foi criada com o objetivo de possibilitar o desenvolvimento de atividades de pesquisa e extensão associadas ao sistema do Instituto, especialmente ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Neste eixo original, realizou atividades de pesquisa e extensão no atendimento às demandas regionais, incluindo ações voltadas aos segmentos sociais vinculados à agricultura familiar, especialmente as comunidades pesqueiras e assentamentos rurais da região, como o Programa Certifica Pesca – Operador de Beneficiamento de Pescado. Todas ações foram realizadas em parceria com as prefeituras municipais e representações comunitárias  da região.

A Upea foi implantada em uma área com 5.764,18 m², situada à margem direita do Rio Paraíba do Sul, no município de Campos dos Goytacazes-RJ, localizada a partir das coordenadas geográficas de latitude de 21º44´22.0” Sul e longitude de 41º12´26.2” Oeste, na BR 356, Km 158, norte estado do Rio de Janeiro, em bioma de Mata Atlântica. Em 2012, a unidade adquiriu autonomia administrativa para conduzir suas ações dentro do perfil no qual foi criada e passou a se denominar campus  Rio Paraíba do Sul/Upea. 

Em 2015, o campus deu um grande salto com sua transformação em Polo de Inovação EMBRAPII em Instituto Federal (PEIF), sendo certificado para Monitoramento e Instrumentação Ambiental. Adicionalmente, como consequência da transformação em Polo de Inovação, foi incorporada à sua estrutura o Centro de Referência em Sistemas Embarcados e Aeroespaciais (CRSEA), o que levou à uma ampliação no número de áreas de atuação.

Tais ações fizeram do PICG um Centro Multiusuários consolidado, onde são desenvolvidas ações de PDI, extensão tecnológica e ensino. Seu objetivo central é ser o braço executivo e da política de PDI do Instituto, além de apoiar o setor produtivo e ICTs parceiras na execução de projetos de PDI, prestar serviços tecnológicos e disseminar conhecimento associado às suas áreas de atuação, quais sejam:

(a) Monitoramento e instrumentação para o meio ambiente, nas subáreas:
-Monitoramento energético;
-Monitoramento de resíduos;
-Monitoramento de recursos hídricos.
b) Aeroespacial;
c) Automação e Instrumentação;
d) Computação;
e) Eletrônica e Eletricidade;
f) Telecomunicações.

Como subunidade do PICG, o CRSEA possui três núcleos de pesquisa associados:

- Núcleo de Pesquisa em Computação Científica (NC2);
- Núcleo de Pesquisa em Física e Astronomia (LEFIS);
- Laboratório de Computação Física (LCF).

Atualmente, o PICG conta com dezenas de parceiros formalizados, distribuídos por todas regiões do Brasil e ainda do exterior, inserindo definitivamente o Polo de Inovação do IFFluminense no Sistema Brasileiro de Ciência, Tecnologia e Inovação.

registrado em: ,