POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Polo de Inovação Campos dos Goytacazes > Notícias > Reestruturação do Bloco A ampliará atividades do Polo de Inovação

Notícias

Reestruturação do Bloco A ampliará atividades do Polo de Inovação

Infraestrutura

Inauguração ocorrerá no dia 12 de novembro, às 15 horas.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 01/11/2018 16h55, última modificação 01/11/2018 18h05

 O Instituto Federal Fluminense irá inaugurar uma nova estrutura de laboratórios no Pólo de Inovação Campos dos Goytacazes, em cerimônia no próximo dia 12 de novembro, às 15 horas.  A obra de reestruturação do bloco A ampliará a capacidade de execução de projetos da unidade do Instituto, impactando também na prestação de serviços e formação de alunos.

 A solenidade de inauguração se dará em três momentos: acolhimento no mini auditório, descerramento da placa de inauguração e coffee break. Ao todo serão sete novos laboratórios (Energia Fotovoltaica & Eficiência; Criação e Prototipagem; Mecânica; Robótica; Eletrônica, Instrumentação e Automação; Computação Científica e Telecomunicações) e dois laboratórios ampliados (Monitoramento de Águas e Biocombustíveis e Gestão de Resíduos). O investimento total é de R$ 1.113.434,31.

 "A reestruturação do bloco A permite que finalmente seja criado um espaço de laboratórios que já tinham suas atividades sendo realizadas, mas que não tinham espaço próprio ou estavam em espaços inadequados, como é o caso do Centro de Referência em Sistemas Embarcados e Aeroespaciais, em que quatro laboratórios ocupavam um espaço de 40m² e agora funcionará em uma sala de 130m², ou seja, mais de três vezes maior", afirma Rogério Atem, diretor do Polo de Inovação.

 A nova estrutura também influenciará em outras atividades da unidade. "Como todos os laboratórios foram remanejados para o bloco A, passamos a ter três salas de aula no bloco B, possibilitando que os mestrados e também o futuro doutorado sejam executados integralmente aqui no Polo de Inovação", complementa Rogério.