Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Aberta a XI Mostra de Extensão IFF-UFF-UENF

Notícias

Aberta a XI Mostra de Extensão IFF-UFF-UENF

Extensão

Evento foi aberto na tarde da última terça-feira, dia 22 de outubro, no Centro de Convenções da Uenf, reunindo quatro instituições: UENF, IFF, UFF e UFRRJ.
por Comunicação Social da Reitoria com Uenf publicado 23/10/2019 00h00, última modificação 25/10/2019 08h38
Exibir carrossel de imagens A mesa de abertura contou com a presença dos dirigentes das quatro instituições

A mesa de abertura contou com a presença dos dirigentes das quatro instituições

 Com a presença do professor Chico Alencar, da Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ), foi aberta na tarde da última terça-feira, 22 de outubro, no Centro de Convenções da UENF, a  XI Mostra de Extensão IFF-UFF-UENF e III UFRRJ. O evento, que integra a 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), se estende durante toda a Semana com um total de 1.068 trabalhos inscritos.

 Deputado federal por quatro mandatos consecutivos (o último se encerrou em 2018), Chico Alencar ministrou a conferência de abertura, intitulada “Um olhar histórico: potencial da bioeconomia no Brasil, montagem do estado nacional e mazelas socioambientais”. O tema da SNCT deste ano é “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

 Em sua conferência, Chico Alencar disse que o grande desafio da humanidade, hoje, é evitar a autodestruição. Lembrou a Encíclica “Laudato Si’”, do Papa Francisco, publicada em 2015, na qual a Igreja critica o consumismo e defende um movimento global para deter a deterioração do ambiente.

 “Ao longo dos séculos, um determinado modo de produzir esgotou a Terra. Vivemos uma época em que é preciso mudar a forma de produzir, consumir e distribuir os bens. O modelo atual levará o planeta ao esgotamento. Até os banqueiros já sabem disso. A economia precisa estar cada vez mais vinculada a uma compreensão do todo”, disse.

 Segundo afirmou, é preciso combater a ideia de que a felicidade está ligada ao consumo. “ Esta ideia, extremamente perversa, vem sendo inoculada dentro da gente ao longo dos séculos. A lógica é ‘compro, logo existo’. Temos que entender que a revolução tecnológica gerou também uma grande parcela de excluídos, que estão na Ásia, África e América Latina. Já existem termos como ‘sobrantes’, ‘inempregáveis’, usados para qualificar esta parcela da população”, disse.

 Chico Alencar ressaltou que o Brasil tem um dos biomas mais ricos do planeta, que grande parte da população desconhece. Segundo ele, a Amazônia, a Caatinga, a Mata Atlântica, o Cerrado e os Pampas abrigam 20% das espécies vegetais e animais do planeta, 23% dos peixes de água doce, 16% das aves, 12% dos mamíferos,14% da água potável e 20% da biodiversidade mundial.

 A mesa de abertura foi composta por representantes das quatro instituições organizadoras do evento: a vice-reitora da UENF, Teresa Peixoto; o reitor do IFF, Jefferson Azevedo; o diretor do Instituto de Ciências da Sociedade (UFF), Roberto Rosendo; a diretora substituta do campus da UFRRJ/Campos dos Goytacazes, Elizabeth Fonseca; e o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UENF, Olney Vieira da Motta.

 A abertura contou também com apresentação do Coral da UENF e do grupo de Capoeira da Universidade.  A Mostra de Extensão se estende até o dia 25 de Outubro, com diversas atividades, como apresentação de trabalhos, palestras, mesas-redondas, minicursos, oficinas, exposições e atividades culturais.

Confira AQUI a programação detalhada do evento