Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Primeiro curso de doutorado do IFF é aprovado pela Capes

Notícias

Primeiro curso de doutorado do IFF é aprovado pela Capes

Pós-graduação

Doutorado profissional na área de Meio Ambiente e Recursos Hídricos será ofertado no Campus Campos Centro, em 2020.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 09/10/2019 14h25, última modificação 09/10/2019 19h24
A previsão é de que o edital de seleção para o curso seja divulgado ainda este ano

A previsão é de que o edital de seleção para o curso seja divulgado ainda este ano

 O Instituto Federal Fluminense (IFF) ofertará seu primeiro curso de doutorado profissional, em Modelagem e Tecnologia para o Meio Ambiente Aplicadas em Recursos Hídricos (AmbHidro). A aprovação do curso foi divulgada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) nesta quarta-feira, dia 09 de outubro (Acesse AQUI). A previsão é de que ele seja oferecido no Campus Campos Centro, já no 1.º semestre de 2020.

 Com a aprovação do doutorado, o IFF passa a atuar em todos os níveis e modalidades da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), possibilitando uma formação completa e verticalizada aos estudantes, na área de Meio Ambiente, com cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), técnico, de graduação, especialização, mestrado e doutorado.

 “É um grande feito da nossa instituição. A aprovação deste doutorado amplia as possibilidades do nosso Instituto em sua atuação nacional e permite uma verticalização do ensino que poucos países do mundo oferecem em sua rede de educação profissional e tecnológica”, destaca o reitor do IFF, Jefferson Manhães de Azevedo.

 Jefferson ressalta que a área do doutorado é um desafio na atualidade. “A água é hoje o grande patrimônio e desafio para a humanidade do século XXI. Pensar os recursos hídricos é fundamental para a agricultura, indústria, para a sobrevivência humana e para os desafios de conciliar interesses tão grandes que dependem desses recursos. Com esse doutorado, nós vamos fortalecer a ação educativa do IFF, formar professores e agentes de políticas públicas nessa área e dar uma consistência no pensar os recursos hídricos em todo o Estado do Rio de Janeiro”, afirmou o reitor.

 "A aprovação deste doutorado amplia as possibilidades do nosso Instituto em sua atuação nacional e permite uma verticalização do ensino que poucos países do mundo oferecem", Jefferson Manhães.

 O pró-reitor de Pesquisa, Extensão e Inovação do IFF, Vicente de Oliveira, destaca que a aprovação do doutorado é resultado de um trabalho em equipe, com participação de diversas instituições - IFF, Uenf, Uerj, UFF e Inea - sob a coordenação da Diretoria de Pós-graduação do Instituto. “Poderemos formar recursos humanos especializados e realizar pesquisas voltadas para recursos hídricos das regiões dos Lagos, Norte e Noroeste Fluminense”.

 Para o biólogo do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e docente colaborador do doutorado, Leonardo Bernardo Campaneli, o curso vem suprimir uma deficiência de mão de obra qualificada para trabalhar a gestão de recursos hídricos nas regiões Norte e Noroeste Fluminense. “A deficiência hídrica tem crescido constantemente na região conforme diversos livros e artigos acadêmicos publicados sobre o tema. Só profissionais altamente qualificados poderão atuar na solução dos problemas complexos que envolvem os usos múltiplos da água nesta região que está inserida na Bacia Hidrográfica de maior densidade populacional do Brasil”, pontua o professor.

 O doutorado também visa atender demandas existentes nas unidades de conservação e nas regiões hidrográficas do estado do Rio de Janeiro, bem como a realização de estudos tecnológicos e de modelagem focados na solução de problemas de qualidade e quantidade de água para as atividades portuárias e oceânicas. 

 "A aprovação do doutorado profissional representa uma grande oportunidade e também uma enorme responsabilidade para o Instituto Federal Fluminense de ampliar nossa contribuição na formação de recursos humanos com a educação verticalizada e, olhando a vertente de inovação, de oferecer soluções originais para a problemática de recursos hídricos com toda sua complexidade e abrangência", ressalta o coordenador do curso, Jader Lugon Junior.

 Para a diretora de pós-graduação do IFF, Simone Vasconcelos, a área de recursos hídricos é fundamental, mas carente de soluções para a região e o país. "Sendo um doutorado profissional, o AmbHidro representa de forma muito significativa a pesquisa aplicada em prol de soluções tecnológicas com qualidade para atender às demandas da sociedade, indo ao encontro da missão dos Institutos Federais".

 O pesquisador do CNPq e docente do programa de doutorado, Silva Neto (Uerj), afirma que o desenvolvimento social e econômico dos países está hoje diretamente relacionado aos investimentos em ciência e tecnologia. "Este curso stricto sensu contribuirá para o avanço do conhecimento científico e tecnológico, bem como a formação de profissionais dedicados à formulação e implementação de soluções para problemas relacionados a um bem coletivo essencial, sem o qual não há vida humana: água".

 Linhas de pesquisa – o doutorado profissional possui duas linhas de pesquisa: Modelagem para Meio Ambiente Aplicada a Recursos Hídricos e Tecnologia para Meio Ambiente Aplicada a Recursos Hídricos. A previsão é de que o edital de seleção para o curso seja divulgado ainda este ano.