Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Revegetação para neutralização do carbono da Reditec 2018 é iniciada

Notícias

Revegetação para neutralização do carbono da Reditec 2018 é iniciada

Meio ambiente

A área destinada para o processo de plantio de mudas fica situada na Praia do Forno, em Búzios.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 18/06/2019 15h50, última modificação 04/07/2019 17h25
Exibir carrossel de imagens Revegetação para neutralização do carbono da Reditec 2018 é iniciada

Revegetação para neutralização do carbono da Reditec 2018 é iniciada

 O processo de revegetação para neutralizar o carbono produzido pela 42.ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec) foi iniciado em reunião realizada no dia 17 de junho de 2019.  A neutralização de carbono ocorre quando uma ação de compensação ambiental é realizada na mesma proporção das emissões de gases de efeito estufa de um determinado evento. No caso da Reditec 2018, será realizado o plantio de 400 mudas de espécies nativas para recuperação ambiental de uma área de três mil metros quadrados, contribuindo para o reflorestamento.

O espaço que receberá o legado verde da Reditec está localizado na Praia do Forno, em Búzios-RJ, que foi visitado pelos servidores responsáveis por fiscalizar o processo, Shanna Dutra e Wayner Rios, da Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão e Inovação (ProPEI) do IFF, Vitor Saraiva, diretor-geral do Campus Cabo Frio, Manildo Marcião, diretor de Pesquisa e Extensão do Campus Cabo Frio, Roberto Campolina Marques Junior, representante da Prefeitura de Búzios, e os representantes da empresa Max Serviços Ambientais, que irá executar o trabalho de revegetação.

 O contrato está dividido em quatro etapas e tem duração de dois anos. Nesta primeira etapa será realizado o preparo do terreno e cercamento da área. "Os passos seguintes serão o plantio, o replantio e a manutenção", explica Shanna Dutra, acrescentando que "o replantio acontece porque, às vezes, as mudas não vingam no terreno e morrem, é necessário então repô-las".