Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Sala de aula virtual amplia ferramentas de educação

Notícias

Sala de aula virtual amplia ferramentas de educação

Metodologia

Nova turma do Programa de Qualificação de Professores para a Educação a Distância inicia no dia 16 de setembro.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 10/09/2019 16h28, última modificação 11/09/2019 11h40
Exibir carrossel de imagens Professores do IFF estão sendo capacitados para utilizarem a plataforma Moodle.

Professores do IFF estão sendo capacitados para utilizarem a plataforma Moodle.

 Professores do Instituto Federal Fluminense (IFF) estão sendo capacitados para utilizar a plataforma Moodle, ambiente virtual de aprendizagem da Educação a Distância (EaD). A ideia é que ela seja uma ferramenta de ensino para suas aulas, seja para aplicação de exercícios, atividades complementares, criação de novos conteúdos, videoaulas e muitas outras possibilidades.

 É o Programa de Qualificação de Professores para a EaD que terá a sua primeira turma concluída em novembro deste ano com a participação de 44 docentes do Instituto, entre eles, a professora de Biologia do Campus Avançado São João da Barra, Fernanda Vidal. De acordo com ela, que teve o primeiro contato com a plataforma, a participação no programa tem sido enriquecedora, com conteúdos claros e equipe atenciosa.

 “Acredito que com o avanço tecnológico acelerado que estamos vivenciando, a EaD torna-se uma modalidade de ensino que atende aos anseios da sociedade atual, sendo mais acessível e prática. Após a realização do curso vislumbro a possibilidade de utilizar a plataforma para auxiliar os alunos que estão em dependência em Biologia”, conta.

 O curso, todo à distância, conta com quatro módulos com 200h totais e certificados após cada uma das etapas. “O curso foi elaborado pela equipe da Educação a Distância com o objetivo de capacitar todos os docentes para que eles possam utilizar a plataforma Moodle”, explica Ana Christina Marchi, técnica em Assuntos Educacionais da EaD.

 No primeiro módulo (40h), o cursista vai conhecer o ambiente virtual na visão do aluno, entendendo e aprendendo sobre o seu funcionamento; no módulo II, de 80h, ele aprende a criar a sua aula/curso; já o módulo III, com 40h, é para ampliar os seus conhecimentos quanto ao planejamento, roteirização e gravação de vídeoaulas; por fim, no último módulo de 40h, o cursista aprende a fazer a mediação pedagógica, o papel do tutor.

 “É uma sala de aula virtual que está à disposição dos professores para explorarem ao máximo os recursos em suas disciplinas: substituir e-mails, criar conteúdos, enviar exercícios”, complementa Ana.

 A próxima turma vai iniciar no dia 16 de setembro com 90 professores que estavam na lista de espera do Edital N.º 205/2018. Uma nova seleção para a terceira turma deverá acontecer em breve.

 “As discussões sobre a institucionalização da EaD estão avançando no cenário nacional. Nosso objetivo é qualificar o maior número possível de professores do IFF para estabelecer uma institucionalização da modalidade a distância em unicidade nos cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação”, destaca Breno Terra, diretor do Centro de Referência.

 No Campus Macaé, por exemplo, o professor Luciano Braga vem adotando a plataforma em suas aulas da disciplina Introdução à Arquitetura e Fundamentos de Computadores no Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica. A primeira experiência foi no semestre passado e, de acordo com ele, apesar de ainda ser necessários ajustes e melhorias, foi positiva.

 “É diferente, você não tem o contato com o aluno como em uma disciplina presencial e precisa imaginar como ele vai entender o conteúdo e interagir sem a intervenção do professor”, diz. “Então, não é só colocar uma apostila no sistema, precisa criar estímulos”, complementa.

 O Projeto Pedagógico do Curso (PPC) da Engenharia Elétrica prevê, além da oferta regular presencial, disciplinas na forma EaD e semipresencial também. “O caminho é este porque você consegue multiplicar o tempo”, acredita Luciano. Segundo ele, dificilmente o curso poderia ser ofertado somente no turno da noite – como é -, sendo necessário incluir os sábados ou iniciar as aulas mais cedo, o que poderia ser limitador para os estudantes. “É uma forma de dinamizar o ensino e possibilitar que o aluno gerencie o seu tempo de estudo”.

 O Programa de Qualificação de Professores para EaD iniciou em novembro de 2018, com a turma 1, e busca qualificar professores para atuarem na modalidade a distância, conforme as diretrizes gerais contidas na Resolução IFF N.º 8, de 16 de março de 2018. Ação é da Diretoria do Centro de Referência em conjunto com a Coordenação de Educação a Distância.