Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Sistema de energia solar será instalado em todo o IFF

Notícias

Sistema de energia solar será instalado em todo o IFF

Sustentabilidade

Foram investidos cerca de 3 milhões de reais e a previsão é de uma economia de até 100% nas contas de energia elétrica.
por Ferdinanda Maia / Comunicação Social da Reitoria publicado 04/03/2020 16h21, última modificação 09/03/2020 13h25
Exibir carrossel de imagens Placas instaladas no Campos Centro do IFF, em parceria com a Enel (Foto: Antonio Barros).

Placas instaladas no Campos Centro do IFF, em parceria com a Enel (Foto: Antonio Barros).

 O Instituto Federal Fluminense (IFF) investiu R$ 3.212.555,29 para aquisição de sistemas de energia solar fotovoltaicos, que serão instalados em todos os campi e na Reitoria ao longo do ano de 2020, um total de 5900 placas solares com capacidade para fornecer 2,5 megawatts* de potência máxima. A ação vai gerar economia de recursos e ainda se traduz em um compromisso com as questões ambientais que são urgentes na sociedade atual e para as futuras gerações.

Energia solar  O sistema fotovoltaico é capaz de gerar energia elétrica por meio da radiação solar, substituindo ou complementando a energia elétrica convencional de forma limpa e com um recurso infinito que é a luz do sol.

 A proposta do Núcleo de Sustentabilidade do IFF, aprovada pelo Colégio de Dirigentes, tem a perspectiva de gerar uma economia total de 11% nos gastos com conta de luz do Instituto, chegando este percentual em algumas unidades a 100%. Atualmente, o IFF gasta o valor de R$ 6.110.000,00 em conta de luz por ano e, até o final de 2020, com a instalação de todo o sistema, está prevista uma economia de R$ 700.000,00.

 "Com a instalação dos sistemas, a gente passa a integrar uma ação mundial de defesas ambientais, energia limpa, além de possibilitar geração de energia e desenvolvimento de projetos de pesquisa", destaca o coordenador do Núcleo, Jonathan Velasco. "Então, teremos ganhos no ponto de vista econômico, ambiental e também educacional", acrescenta ressaltando que na unidade de Cabo Frio e no Polo de Inovação Campos dos Goytacazes (PICG) são realizadas pesquisas na área de energia fotovoltaica, e, com a instalação dos sistemas em todas as unidades, será possível ampliar as atividades educacionais.

 Experiências: A instalação de sistemas fotovoltaicos não é uma novidade no Instituto, mas representa um grande avanço ao contemplar todas as unidades. O Campos Centro já possui esta tecnologia em uma parceria com a concessionária de energia Enel e, com a instalação das novas placas, vai atingir um percentual de 7% de economia na conta de luz.

 No Campus Cabo Frio, o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) Aneel da Universidade de Santa Catarina possibilitou a instalação de uma planta solar com sete tipos de tecnologias com o objetivo de identificar quais os módulos mais eficientes para geração solar fotovoltaica. Atualmente, há três pesquisas acadêmicas sendo desenvolvidas na unidade, além do fornecimento de parte da energia para abastecimento do campus, representando uma economia de 7% na conta de luz. Com as novas instalações, este percentual chegará a 17%.

Módulos fotovoltaicos do Campus Cabo Frio

(Módulos fotovoltaicos instalados no Campus Cabo Frio)

 Já o Polo de Inovação, por meio do projeto Integração e Inteligência para a Sustentabilidade (I2S) realizado com recursos da Financiadora de Estudos e Pesquisas (Finep) e a participação de alunos de graduação e mestrado, vem investindo em sistemas de geração eólica e fotovoltaica que permitiram, além do envolvimento de estudantes em projetos de pesquisa na área, uma economia de 45% na conta de luz. Com as placas adquiridas pelo IFF, o Polo vai chegar a 100% de economia se tornando autossustentável na produção de energia limpa. Outras economias estimadas são para o Campus Avançado Cambuci que deve chegar a 80% e na Reitoria de 60%.

 Núcleo de Sustentabilidade: O núcleo do IFF foi instituído em junho de 2019 pela Portaria N.º 931, com o objetivo de propor e implementar ações de sustentabilidade que sejam transformadas em boas-práticas da gestão pública de modo a garantir o uso eficiente dos recursos, reduzindo o impacto ambiental e servindo como base para as tomadas de decisões da gestão. O grupo já desenvolve estudos sobre consumo de água, gestão de resíduos e possibilidade de uso de geradores em horário de pico – 18h às 21h – quando a energia é mais cara e a solar não consegue suprir. O desafio é avançar nas práticas dentro da instituição.

 “Estamos avançando para adotar no Instituto uma gestão voltada para a sustentabilidade, buscando o bem-estar social; tornar o IFF modelo dessas ações em toda a região de abrangência da instituição que hoje engloba municípios de Itaboraí até a divisa com o Espirito Santo. Nossa proposta, enquanto agentes da educação, é inserir essa população num tema de envergadura mundial”, finaliza Jonathan.

 * Um megawatt é igual a um milhão de watts. Para colocar isso em perspectiva, uma lâmpada doméstica costuma ter 100 watts, portanto, um megawatt equivale a muitas lâmpadas. O termo “watt” refere-se à energia que é usada instantaneamente; quando essa lâmpada de 100 watts está ligada, ela consome 100 watts. Se houvesse uma lâmpada de um megawatt, ela consumiria um milhão de watts quando ligada (Fonte: Portal São Francisco)