Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Obras do estacionamento da Reitoria do IFF estão em andamento

Notícias

Obras do estacionamento da Reitoria do IFF estão em andamento

Infraestrutura

O estacionamento contará com 104 vagas e tem prazo de conclusão de 90 dias.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 18/01/2018 12h32, última modificação 23/01/2018 09h59
Exibir carrossel de imagens Estacionamento contará com 93 vagas para automóveis e 11 para motos

Estacionamento contará com 93 vagas para automóveis e 11 para motos

 As obras do estacionamento da sede da Reitoria do Instituto Federal Fluminense (IFF) foram iniciadas no dia 15 de janeiro pela empresa M Paes Serviços LTDA - ME, responsável pela construção. O prazo de conclusão é de 90 dias.

 De acordo com a servidora Mariana Piraciaba, engenheira responsável pela obra, nessa fase inicial, “está sendo feita a preparação do terreno para assentamento dos blocos de concreto”.

 Serão investidos R$ 310.352,93 para a área de pavimentação de 3.480 m², desde o portão da entrada de carros até os fundos do terreno. O estacionamento contará com 93 vagas para automóveis, sendo duas acessíveis, e 11 vagas para motos, além de arborização e dois postes para iluminação.

 A área em frente ao prédio da Reitoria, atualmente utilizada como estacionamento, será destinada exclusivamente para convivência. O projeto prevê a recuperação da grama e o plantio de árvores.

 O pró-reitor de Desenvolvimento Institucional do IFF, José Luiz Boynard, diz que a obra visa proporcionar melhores condições de trabalho para os servidores e receber bem todas as pessoas que frequentam a Reitoria.

  “A mudança do Campus Centro para a Reitoria obedeceu a um compromisso de campanha do reitor e a gestão não deixará de observar e promover ações que possam contribuir com a melhoria das condições de trabalho dos servidores. Além disso, a Reitoria é o grande centro administrativo do Instituto e reúne os fóruns mais importantes da instituição, recebendo representações de todos os segmentos da sociedade, sendo minimamente desejável que os espaços sejam adequados para receber bem essas pessoas”, destaca Boynard.