CAMPUS BOM JESUS DO ITABAPOANA

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Bom Jesus do Itabapoana > Notícias > Alunos do IFF Bom Jesus recebem menção honrosa da OBMEP

Notícias

Alunos do IFF Bom Jesus recebem menção honrosa da OBMEP

Olimpíada de Matemática

Dez estudantes que participaram da 13ª edição da Olimpíada, realizada em 2017, foram homenageados.
por Comunicação Social do Campus Bom Jesus do Itabapoana publicado 14/06/2018 13h30, última modificação 15/06/2018 14h20
Exibir carrossel de imagens Cerimônia e homenagens incentivam alunos a buscarem bons desempenhos.

Cerimônia e homenagens incentivam alunos a buscarem bons desempenhos.

Os alunos do Instituto Federal Fluminense Campus Bom Jesus que participaram da 13ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e Privadas (OBMEP) e obtiveram os melhores desempenhos na instituição foram homenageados nesta quarta-feira, dia 13 de junho, em cerimônia de premiação. Dos 700 discentes do campus que fizeram a prova, 10 foram contemplados com Menções Honrosas. O evento aconteceu durante o intervalo da manhã, contando com a presença de vários estudantes, que prestigiaram os colegas.

O propósito da cerimônia foi agraciar os alunos premiados e motivá-los a buscar melhores resultados nas próximas edições da OBMEP”, conta o professor de matemática Leonardo Muniz, que abriu a cerimônia parabenizando os homenageados e enfatizando a importância da Olimpíada como projeto de governo na busca de talentos da matemática. A diretora de Ensino do Campus Bom Jesus, Emilly de Oliveira, representou o diretor-geral Carlos Freitas ao expressar o orgulho da instituição pelo desempenho dos participantes, elogiando também os professores pelo trabalho.

Os dez homenageados receberam os certificados das mãos do professor de matemática do Campus Campos Centro Alex Cabral, coordenador da OBMEP em todo o IFFluminense. Ele elogiou a equipe de professores de Matemática e a tradição de premiações conquistadas por alunos do Campus Bom Jesus, alguns dos quais já colecionam medalhas. É o caso de Lucy Maria Degli Esposti Pereira, aluna do segundo ano do curso técnico integrado em Agropecuária, que desde 2013 participa da OBMEP, acumulando duas medalhas de ouro, duas de prata e, agora, também uma menção honrosa.

Foi a partir da primeira medalha dourada que a paixão por matemática surgiu e, desde então, quatro meses por ano são dedicados à preparação para o que ela considera “o evento mais importante do ano”. São 150 videoaulas assistidas anualmente, oito horas semanais de dedicação ao Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC) e, na época das provas, todo o tempo livre disponível, além de algumas noites mal dormidas em razão da ansiedade, eram para estudo. “A matemática mudou minha vida. Quando ganhei a primeira medalha estava em um momento difícil e a premiação melhorou minha autoestima. Foi como descobrir minha utilidade. Quando estou fazendo a prova da OBMEP não vejo nada, realmente viajo”, conta Lucy, para quem os números são quase como um passatempo. “Parece que resolver uma questão de matemática me relaxa”, brinca.

Moradora de Cachoeirão, zona rural de Calheiros, distrito bonjesuense, Lucy vê no curso de Agropecuária uma forma de ajudar os pais, produtores de leite. Seu sonho, contudo, é cursar Engenharia Civil, apesar de também cogitar a possibilidade de também ensinar matemática. “Atualmente sou tutora de matemática no campus e, apesar da timidez, tenho gostado bastante”, confessa. Ela atribui as conquistas à dedicação aos estudos, que já lhe renderam até viagens e experiências em várias cidades brasileiras. Meu sonho é que mais pessoas ganhem medalhas. Com boa vontade e dedicação, não fica tão difícil”, incentiva a aluna, cuja história ganhou destaque no Facebook e no site da OBMEP.

Medalhas OBMEP Lucy

Medalhas conquistadas por Lucy

Lucy não é a única a colecionar medalhas. Rebeca Fontoura, aluna do segundo ano do curso técnico integrado em Informática, também recebeu menção honrosa na última edição, mas guarda com carinho suas duas medalhas de prata e uma de ouro, conquistadas no sétimo, oitavo e nono anos do ensino fundamental, concluído no Colégio Estadual Euclides Feliciano Tardin, em Bom Jesus do Itabapoana. A matemática ganhou o coração de Rebeca ainda na infância, quando dividia espaço na rede com seu pai para completar tabuadas."O dia mais feliz da minha vida foi quando ganhei a medalha de ouro", recorda. Para ela, um dos maiores benefícios de ser medalhista da Olimpíada é participar do PIC, como Lucy, onde fez amigos e aprendeu com a troca de experiências e conhecimento."Quero muito ganhar outras medalhas, para reencontrar esses novos amigos e porque o PIC sempre acrescenta coisas boas à minha vida; a cada ano descubro coisas diferentes sobre mim mesma no programa", conta, destacando que a OBMEP foi determinante também para a escolha do futuro profissional.

Rebeca sonha estudar Ciência Política e afirma que a matemática foi a impulsionadora da decisão. "A OBMEP virou um porto seguro para mim e me abriu os olhos para a infinidade de oportunidades que podem surgir a partir dela, como bolsas de estudos, por exemplo. Para as pessoas que estavam na premiação e que têm a oportunidade de participar de olimpíadas: façam! É maravilhosa a energia que o processo tem; as pessoas que conhecemos nos inspiram e as oportunidades nos possibilitam conhecer mais de nós mesmos", aconselha.

O histórico de bons resultados é um grande incentivo para alunos e professores do IFF Bom Jesus. “Esperamos ampla participação e muitos medalhistas de ouro nas próximas edições! Para alcançar essa meta, os professores prometem muito trabalho e querem que os alunos se sintam motivados a estudarem”, antecipa o professor Leonardo Muniz.

Confira a lista de premiados com menção honrosa no IFF Campus Bom Jesus:

  • Ana Luiza Ramalho Falcão, 3º ano do curso técnico integrado em Meio Ambiente 
  • Eduarda Dutra Ferreira, 3º ano do curso técnico integrado em Alimentos
  • Guilherme Martins Teixeira, 2º ano do curso técnico integrado em Química
  • Hyasmim Picoli Boechat, 3º do curso técnico integrado em Informática em 2017 
  • Julia Batista de Oliveira, 3º ano do curso técnico integrado em Informática
  • Lucy Maria Degli Esposti Pereira, 2º ano do curso técnico integrado em Agropecuária
  • Manoel Victor de Lima Reis Vieira, 3º ano do curso técnico integrado em Química em 2017
  • Neemias de Almeida Ribeiro, 3º ano do curso técnico integrado em Alimentos
  • Pedro Rafael Soliva Codeço, 3º ano do curso técnico integrado em Informática