POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Polo de Inovação Campos dos Goytacazes > Notícias > Polo de Inovação Campos dos Goytacazes coloca projetos de pós-graduação no mercado

Notícias

Polo de Inovação Campos dos Goytacazes coloca projetos de pós-graduação no mercado

Embrapii

Projeto prevê a otimização dos recursos hídricos e uma solução de baixo custo para agricultores de menor porte.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 20/06/2017 12h20, última modificação 22/06/2017 10h12
Exibir carrossel de imagens Concepção do Projeto de Integração e Inteligência para a Sustentabilidade, desenvolvida pelo diretor do Polo,  Rogério Atem. Arte - Pablo Nascimento.

Concepção do Projeto de Integração e Inteligência para a Sustentabilidade, desenvolvida pelo diretor do Polo, Rogério Atem. Arte - Pablo Nascimento.

 O Polo Embrapii do Instituto Federal Fluminense segue cumprindo a missão de estimular o setor industrial a inovar e com maior intensidade tecnológica, compartilhando riscos e aproveitando o que tem de melhor nas produções acadêmicas. Prova disto é o sétimo contrato da unidade Embrapii, assinado com a empresa Netword Consultoria e Tecnologia Ltda, que tem como sócio-gerente o estudante do Mestrado em Sistemas Aplicados à Engenharia e Gestão (SAEG) do IFF, Marcos Ferronato.

 O projeto "SENSORIAMENTO POR PROXIMIDADE DOS ATRIBUTOS DE SOLOS PARA OTIMIZAÇÃO NA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS HÍDRICOS”, fruto da dissertação de mestrado do empresário, é um projeto de agricultura de precisão que otimiza o uso da água no processo de irrigação, em diferentes culturas. O projeto atende uma área de grande demanda, que é o setor agrícola, não só na nossa região, mas no Brasil em geral, que precisa cada vez mais do uso de tecnologias para aumentar a produtividade e reduzir o impacto ambiental.

 “A assinatura deste contrato, que integra a pós-graduação com o projeto Embrapii, viabilizou a ida deste produto para o mercado. Espero que este seja o primeiro de muitos que pretendo desenvolver”, comemora Marcos.

 Em paralelo, o projeto visa à construção de um sistema para gerenciar os dados de leitura do solo e de irrigação obtidos e dar uma solução de baixo custo. No mercado existem soluções parecidas, mas com custos elevados, portanto não acessíveis a agricultores de menor porte.

 A assinatura aconteceu no dia 14 de junho e contou com a presença do reitor do Instituto Federal Fluminense, Jefferson Manhães de Azevedo; do pró-reitor de Pesquisa, Extensão e Inovação do IFF, Vicente de Oliveira; do diretor-geral do Polo de Inovação Campos dos Goytacazes, Rogério Atem de Carvalho; da diretora de Gestão de Projetos do Polo e orientadora da dissertação, Simone Vasconcelos; do coordenador de Prospecção  do Polo, Rodrigo Martins Fernandes; do superintendente geral da Fundação PRÓ-IFF, Neilton Ribeiro da Silva; e do representante do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), Henrique da Hora. 

 No mesmo dia, um segundo projeto foi assinado pelo Pólo com a Financiadora de Estudos e Pesquisas (Finep), o Integração e Inteligência para a Sustentabilidade (I2S), referente ao apoio financeiro de R$ 345.000,00. O projeto foi apoiado originalmente pelo Edital N.º 133/2016, lançado pela pró-reitoria de Pesquisa, Extensão e Inovação, com o objetivo de apoiar a elaboração de projetos para captação em agências de fomento.

 “O financiamento ao I2S pela Finep visa criar o campus inteligente e sustentável, por meio da fabricação e instalação de medidores inteligentes (smart meters), de projeto do próprio Polo de Inovação Campos dos Goytacazes, para o consumo e geração de energia e água, instrumentação de Estação de Tratamento de Água e da Estação de Tratamento de Esgoto, integração dos sistemas de geração Eólica e Fotovoltáica, integração da Estação Meteorológica Digital e outros sensores”, explicou o diretor do Polo, Rogério Atem.

 Ainda de acordo com Rogério, com isso, o campus do PICG será transformado em modelo para a criação de campus, condomínios, bairros e até mesmo cidades inteligentes e sustentáveis. “Vale lembrar que o I2S é tema também de quatro dissertações de mestrado do SAEG, duas em andamento e duas que se iniciarão ano que vem” finalizou o diretor.