CAMPUS BOM JESUS DO ITABAPOANA

Você está aqui: Página Inicial > Nossos campi > Bom Jesus do Itabapoana > Notícias > Revisionismo e negacionismo são tema da conferência de abertura da VIII Mostra do Conhecimento

Notícias

Revisionismo e negacionismo são tema da conferência de abertura da VIII Mostra do Conhecimento

Palestra

Palestra ministrada pelo professor Plínio Ferreira Guimarães, do Instituto Federal do Espírito Santo, foi transmitida online e está disponível no IFFtube.
por Comunicação Social do Campus Bom Jesus do Itabapoana publicado 04/12/2020 00h32, última modificação 04/12/2020 00h41
Além de explicar os conceitos, o professor falou sobre episódios relacionados à História do Brasil e do mundo.

Além de explicar os conceitos, o professor falou sobre episódios relacionados à História do Brasil e do mundo.

“Pensar a ciência na atualidade: os desafios diante dos negacionismos” foi o tema da conferência de abertura da VIII Mostra do Conhecimento do Instituto Federal Fluminense Campus Bom Jesus do Itabapoana, ministrada pelo professor Plínio Ferreira Guimarães na noite dessa quarta-feira, dia 02 de dezembro de 2020. O evento foi aberto ao público e transmitido pelo IFFtube.  “É um tema caro para debatermos neste momento. É importantíssimo trazer esse debate o máximo possível. Pensar em como fazer frente às negações da ciência que temos visto tão frequentemente na atualidade”, avaliou o professor ao iniciar a palestra.

Plínio explicou o conceito de ciência, enfatizando o processo de construção do conhecimento e os critérios metodológicos que garantem a confiabilidade das informações científicas. “É importante que a gente entenda isso: quando o cientista traz uma informação, uma descoberta, isso é fruto de um longo trabalho de pesquisa, de experimentação. É colocado à prova, revisado por pares, que analisam, avaliam, comentam, criticam aquela produção”, ponderou. O professor também traçou um panorama sobre a ciência na história da humanidade e considerou que ela está em tudo – na agricultura, nas grandes obras e até nas estratégias de guerra, desde o período medieval.

Em seguida, continuou a exposição referindo-se ao avanço da ciência no mundo contemporâneo e ao quanto tais evoluções possibilitaram grandes mudanças na sociedade, como na comunicação, por exemplo. O ponto principal da palestra, contudo, foi a discussão sobre o revisionismo e o negacionismo. O primeiro refere-se à revisão de pesquisas, o que é comum na ciência. Já o negacionismo é a prática de negar a ciência, o que, segundo o professor, tem ganhado repercussão atualmente. “Os negacionismos são muito ruins. Primeiro porque são baseados em teorias conspiratórias. Pelo negacionismo as pessoas deixam de se vacinar, não acreditam na pandemia, defendem ideias autoritárias, passam a não aceitar o outro”, analisou, apontando os riscos do negacionismo em tempos de pandemia: descrédito da ciência, ampliação das infecções e mortes, fortalecimento do movimento antivacina e surgimento de teorias conspiratórias.

A última parte da palestra foi dedicada à apresentação de informações sobre revisionismo e negacionismo na História, área de formação do docente, que é graduado, mestre e doutor em História e professor efetivo do Instituto Federal do Espírito Santo Campus Ibatiba. Confira a íntegra da conferência de abertura no vídeo abaixo.

As inscrições para a Mostra do Conhecimento continuam abertas e a programação segue até sábado, dia 05 de dezembro. Os interessados podem se inscrever pelo site do evento.