Você está aqui: Página Inicial > Reitoria > Notícias > Ações culturais contribuem para a formação dos estudantes e a aproximação do IFF com a sociedade

Notícias

Ações culturais contribuem para a formação dos estudantes e a aproximação do IFF com a sociedade

Cultura

Projetos, programas e eventos culturais são desenvolvidos de forma contínua pelo IFFluminense.
por Comunicação Social da Reitoria publicado 04/11/2020 17h05, última modificação 04/11/2020 18h08
Exibir carrossel de imagens Apresentação do grupo Nós do Teatro (Fotos: Divulgação)

Apresentação do grupo Nós do Teatro (Fotos: Divulgação)

 O Dia Nacional da Cultura, instituído pela Lei N.º 5.579, de 15 de maio de 1970, é comemorado anualmente em 05 de novembro. No Instituto Federal Fluminense (IFF), as ações no campo da cultura exercem um papel fundamental na formação integral dos estudantes, por meio do diálogo entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão, e na relação do IFF com a sociedade, contribuindo para o desenvolvimento local/regional e a inclusão social a partir de produções artísticas e manifestações culturais comprometidas com a cidadania, democracia, preservação e memória, liberdade de expressão, sustentabilidade, respeito aos direitos humanos e valorização da diversidade.

 As políticas culturais da instituição estão em consonância com as metas e estratégias estabelecidas no Plano de Cultura do IFFluminense, aprovado pela Resolução N.° 09, de 16 de março de 2018. Atualmente, são desenvolvidos projetos culturais em diversas áreas, como arte, teatro, música, cinema, poesia, literatura, autocuidado e bem-estar e projetos vinculados aos Programas de Direitos Humanos e Diversidade, que constituem os Núcleos de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neabi), os Núcleos de Estudos sobre Gênero, Diversidade e Sexualidade (Nugedis) e os Centros de Memória existentes em cada um dos 11 campi do Instituto.

"A cultura é uma dimensão formativa para os estudantes, entendida como uma atividade fim da Rede Federal, além de ser uma opção pedagógica da instituição, estabelecida no Projeto Político Pedagógico do IFF (PPP) como elemento base para a formação integral dos sujeitos",  Jonas Defante. 

 Os projetos e programas, coordenados por servidores docentes e técnico-administrativos em educação, contam com a participação direta de estudantes bolsistas e voluntários. O coordenador de Políticas Culturais e Diversidade da Pró-reitoria de Extensão do IFF, Jonas Defante, destaca que "a cultura é uma dimensão formativa para os estudantes, entendida como uma atividade fim da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, além de ser uma opção pedagógica da instituição, estabelecida no Projeto Político Pedagógico do IFF (PPP) como elemento base para a formação integral dos sujeitos".

 Jonas acrescenta que "o Plano Institucional de Cultura apresenta metas orientadas para enfrentar os desafios do acesso e da permanência do estudante; das desigualdades educacionais, em cada território, com foco nas especificidades de sua população; da formação para o trabalho, identificando as potencialidades das dinâmicas locais; e do exercício da cidadania”.

 Para além do desenvolvimento de projetos, o IFF vem promovendo ao longo de sua trajetória ações e eventos extensionistas que divulgam o que é produzido na instituição, estimulam a produção artística e cultural e promovem o relacionamento e maior integração com a sociedade.

 Reconexão Artística, de Pedro Pessanha, vencedora do Concurso de Fotografia e Vídeo Digital Neste ano de 2020, mesmo com o isolamento social e os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, o Instituto está realizando eventos online, em parceria com outras instituições, como o Festival da Canção Interuniversitário IFF-UFF-Uenf, em andamento, destinado aos servidores e estudantes das três instituições de ensino, e outros eventos abertos à participação da comunidade externa, como o Concurso de Fotografia e Vídeo Digital, lançado no mês de abril, e a XII Mostra de Extensão IFF-UFF-Uenf e IV UFRRJ, que foi realizada de 20 a 23 de outubro e contou com 279 trabalhos do IFFluminense, sendo 34 na área da Cultura. 

 Jonas afirma que, durante a pandemia, a cultura tem sido a dimensão humana essencial na promoção da saúde mental e bem-estar para a sociedade que sofre a cada dia com as perdas em todas as esferas, em especial a afetiva-familiar e a econômica. “Por isso, buscamos nos aproximar cada vez mais pelos meios digitais, realizando ações institucionais que visam à permanência do vínculo da comunidade interna e externa com o IFFluminense. Todas as atividades buscam reunir e aglomerar, virtualmente, com intuito de manter o diálogo, os estudos, as aprendizagens mútuas e a socialização afetiva, promovendo o vínculo institucional entre os sujeitos que fazem a educação e a cultura de nossa sociedade”, finaliza o coordenador.

Projetos promovem reflexões sobre o gênero feminino, cinema e literatura

  Mesmo com a pandemia, os projetos e programas de Cultura e Diversidade do IFF continuam sendo desenvolvidos com a realização de atividades, de forma remota, por meio das mídias digitais. Há projetos, inclusive, que foram criados com o objetivo de promover reflexões durante o isolamento social, como é o caso do “Mulheres de Família: como sobreviver em tempos de Covid-19?”, do Nugedis do Campus Macaé, que tem como objetivo estabelecer diálogos e problematizar questões como conciliação do trabalho remoto e trabalho de casa, cuidados para com os filhos e com os parentes que necessitam de seu auxílio, violência física e/ou psicológica gerada por um homem da família, empoderamento feminino, autocuidado, entre outros. 

 Realizado em parceria com equipes da área de Linguagens, do Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (Napnee), Nutrição e Fanzinoteca, o projeto tem participado de eventos online e compartilhado reflexões e contribuições de estudantes e servidores no Instagram @nugedisiff, como poemas, contos, crônicas, fotografias, desenhos, pinturas, vídeos, entre outros. Para participar, basta enviar um e-mail para nugedisiffmacae@gmail.comImagem da ilustradora e quadrinista Flávia Borges, publicada no instagram do Nugedis do Campus Macaé (Reprodução)

 “Esse material vem sendo divulgado a fim de dar voz e visibilidade às dores e às superações coletivas deste momento, formando uma rede de acolhimento e resistência. O nosso objetivo principal é criar um ambiente para que possamos falar e perlaborar as angústias em linguagem performativa, artística, neste momento em que muitas situações parecem infindáveis, sem ou de difícil solução, e que o cenário é propício para que as pessoas se sintam mais sozinhas”, destaca a professora e coordenadora do Nugedis do Campus Macaé, Olívia de Melo Fonseca.

 Além de Olívia, a equipe do projeto é formada pelos bolsistas Júlia Siqueira e Eloísa Malaquias, do Curso Técnico Integrado em Automação Industrial, Mateus Macêdo e Ana Luiza de Souza (voluntária), do Curso Técnico Integrado em Eletromecânica.

 No Campus Santo Antônio de Pádua, o projeto “Articulando Cinema e Literatura: refletindo sobre leituras e caminhos possíveis para se pensar relações sociais” está sendo desenvolvido desde março deste ano com o objetivo de provocar debates em torno de temas abordados em obras literárias que foram adaptadas para a linguagem cinematográfica, problematizando essa transposição de linguagens e relacionando esses temas à vida cotidiana, de forma a contribuir com a ampliação dos modos de pensar e de ser no mundo.

 A professora e coordenadora Evânia Maria do Nascimento destaca que “o projeto fomenta a reflexão sobre obras cinematográficas e literárias e seus possíveis diálogos com o entorno social, por meio de debates entre os estudantes e as orientadoras, a fim de contribuir para a formação crítica de todos os envolvidos. Após os debates, as discussões são publicizadas na página @literaturacinema_iff, no Instagram, de maneira que sejam ampliadas e ressignificadas, o que contribui, também, para a formação crítica dos nossos seguidores”, pontua Evânia, que desenvolve o trabalho junto com a professora Ana Beatriz da Matta (subcoordenadora) e a bolsista Giovana Gesualdi Carneiro, aluna do Curso Técnico Integrado em Administração.