POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES

Estação de tratamento de água

por ferdinanda fernandes maia publicado 04/11/2015 14h45, última modificação 04/11/2015 16h35
Estação de tratamento de água do campus Rio Paraíba do Sul/Upea

 Com disponibilidade de 12% da água doce disponível no mundo, o Brasil encontra-se em condição privilegiada em relação a muitas regiões do planeta. Entretanto, apesar desta disponibilidade, mesmo assim o país apresenta um quadro paradoxal de escassez devido a dois fatores: a relação inversa entre a disponibilidade de água e as concentrações populacionais; e a qualidade das águas nas regiões de maior demanda. 

 Com o intuito de colaborar para minimizar as deficiências na qualidade de água, sobretudo em pequenas comunidades, e também no atendimento das próprias demandas do campus, foram desenvolvidas na UPEA duas estações de tratamento de água (ETA), a baixo custo, para tratamento da água superficial do rio Paraíba do Sul e da água subterrânea característica da região (rica em ferro e manganês), que também são utilizadas para fins didáticos. 

 A ETA superficial é composta pelas seguintes etapas e componentes: entrada de água bruta, dosagem de hipoclorito de sódio, dosagem de policloreto de alumínio, floculador, decantador, acúmulo de lodo, tanque de água fora de especificação, tanque de água decantada, filtro de areia, filtro de carvão, tanque de água tratada, descarte de lodo e água fora de especificação. A ETA subterrânea é composta pelas seguintes etapas e componentes: bombeio de água do poço freático, dosagem de químicos, tanque de oxidação, tanque pulmão para a filtração, filtro de areia, filtro de carvão e filtro de zeólito.

Estação de tratamento de água do campus Rio Paraíba do Sul/Upea